Grand finale: a entrevista de mestrado

Olá pessoal!

Como já observaram, estamos, semanalmente, falando um pouquinho sobre cada etapa que envolve o processo seletivo para ingresso no mestrado.

Já falamos sobre o projeto de pesquisa, da prova de proficiência em língua estrangeira, da prova dissertativa e do Currículo Lattes.

Hoje vamos falar sobre a entrevista. Esta, geralmente, é a última etapa de todo o processo e é eliminatória e classificatória.

O candidato é entrevistado por uma banca de professores ou apenas pelo professor orientador indicado.

O que se deseja saber na entrevista, em linhas gerais, é:

  1. Sobre o seu projeto de pesquisa. Por isto, é importante que vc tenha clareza do que pretende pesquisar e dos objetivos que pretende alcançar. E, especialmente, a relevância do seu projeto para o Instituto e para a sociedade;
  2. Possivelmente vão fazer perguntas sobre sua trajetória acadêmica. Daí a importância do Lattes.
  3. Outra coisa que estão prezando muito: a disponibilidade do candidato para realizar a pesquisa. Os Institutos são avaliados, periodicamente pela CAPES, e, se houver desistências, desligamentos etc., o Instituto perde pontos na avaliação. Isto se reverte em menos verba para bolsas e outras demandas. Ou seja, eles não querem se arriscar com um candidato que ainda vai descobrir o que vai fazer no mestrado. Assim, não basta ter sido aprovado em todas as etapas anteriores  e não passar na entrevista.

Mas, então, só pode fazer mestrado quem não trabalha e tem o tempo todo livre para a pesquisa?

Não é bem isso. Mesmo porque ninguém passa o dia todo, todos os dias do ano só estudando. O que precisa ficar claro é como vc organizará seu tempo para a pesquisa. E, digo isto, com conhecimento de causa, uma vez que conciliei o mestrado com dois empregos.

Bom, galera espero ter ajudado.

Dúvidas, só postar nos comentários.

Desejo a todos um excelente 2015 e que o sonho do mestrado se torne realidade! 😉

Anúncios

4 comentários

    • Olha Rafael, há possibilidade de conseguir bolsa pela CAPES e também pela FAPESP.
      O problema é que são poucas bolsas e, no caso da CAPES, a Coordenação do curso decide os alunos que serão contemplados de acordo com suas normas. Pela FAPESP, é o próprio aluno quem deve diretamente pleitear a bolsa sem intermediação da Instituição na qual estuda. Pela CAPES, agora o aluno pode ter vinculo empregatício (mas, a preferência é para quem não tem). No caso da FAPESP não pode ter vínculo empregatício. Além disso, o valor da bolsa FAPESP costuma ser maior em relação a da CAPES. Há também opção de bolsa pelo CNPq, mas não tenho informação a respeito. Eu não recebi bolsa. Não tenho tanta propriedade sobre o assunto. Se alguém tiver mais detalhes, por favor, posta aí nos comentários pra ajudar a galera!

  1. Boa tarde, Fernanda.
    Você “pincelou” em seu texto essa questão de expor na entrevista a disponibilidade de tempo para a pesquisa mesmo sendo uma pessoa que trabalha. Gostaria que voce aprofundasse sobre a forma como fazer isso durante a entrevista, pois trabalho e fico na duvida de como fazer isso, por exemplo, posso justificar dizendo que tenho como negociar com a empresa como minha carga horária será realizada … Será que você poderia expor como tratou o assunto na sua entrevista

    • Então Cris, eu acredito que é importante sempre falar a verdade. O fato de você trabalhar não é, a meu ver, um impeditivo para você ingressar no mestrado.
      É difícil? Sim. Mas, como sempre afirmo não é impossível. O que você precisa é demonstrar clareza sobre seu objeto de pesquisa e sua metodologia de pesquisa. Mencione que apesar de não ter o tempo inteiramente livre para a pesquisa (se bem que ninguém dedica 24h de sua vida a isso…), você tem possibilidade de negociar com sua chefia folgas para cursar as disciplinas. Além disso, diga que está disposta a dedicar seu tempo livre como finais de semana, feriados e férias a seus estudos. O que a banca quer sentir, na verdade, é que você não abandonará o curso, pois isso prejudica o programa. No mais, procure falar de forma segura, mas sem arrogância, demonstrando sua disposição e determinação. Para tanto, é importante que você se prepare bem para todas as etapas do processo seletivo. Principalmente em relação ao projeto. Nesse quesito, se desejar de orientação para elaborá-lo, me contate para que eu te explique melhor sobre meu trabalho de consultoria. Espero ter ajudado. Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s